Aguarde...
Paulo Leminski

Escritor, poeta, tradutor e professor, Paulo Leminski era também faixa-preta em judô. Nasceu em 1944, em Curitiba, e faleceu em 1989. O pai era polonês e a mãe negra. Desde cedo inventou um jeito próprio de escrever poesia, preferindo poemas breves, trocadilhos ou “brincadeiras” com ditados franceses. Paulo esteve no primeiro Congresso Brasileiro de Poesia de Vanguarda, em Belo Horizonte,onde conheceu Haroldo de Campos. Os dois tornaram-se amigos e escreveram várias obras. O escritor estreou em 1964 com cinco poemas na revista Invenção, em São Paulo, e no ano de 1965 tornou-se professor de História e de Redação em cursos pré-vestibulares, além de professor de judô. Em 1966, Leminski alcançou o primeiro lugar no II Concurso Popular de Poesia Moderna. Casou-se cedo, aos 17 anos, com a artista plástica Neiva Maria de Sousa, de que acabou divorciando-se em 1968. Nos textos de Paulo Leminski a influência da MPB é clara, e o poeta chegou até a escrever canções. Veja as principais obras poéticas de Paulo Leminski: Quarenta clics em Curitiba, 1976 (Poesia e fotografia, com o fotógrafo Jack Pires) Curitiba, Etecetera, 1976 Polonaises, 1980 Não fosse isso e era menos/ não fosse tanto e era quase, 1980 Tripas, 1980 Caprichos e relaxos, 1983 Um milhão de coisas, 1985 Caprichos e relaxos, 1987 Distraídos venceremos, 1987 La vie en close, 1991 Winterverno, 1994 Szórakozott Gyozelmunk, 1994 O ex-estranho, 1996 Melhores poemas de Paulo Leminski, 1996 Aviso aos náufragos, 1997 Toda poesia, 2013.

Obras mais recentes:

Se você gostou de Paulo Leminski, talvez você goste também de...

ROLAR PARA O TOPO