Aguarde...

CRIMINALIDADE NO RIO DE JANEIRO



Produto sob encomenda
Previsão: 3 Semanas + Frete

Calcule prazo de entrega e frete:

 - 
Este produto pode ser retirado em loja

Sinopse

O presente trabalho teve como meta estudar a relação entre a criminalidade, a intervenção das Forças Armadas no espaço urbano da cidade do Rio de Janeiro e o discurso jornalístico. Levando em conta como se deram os processos de intervenção realizados pelo poder público e as construções jornalísticas que os cercam. Wilson Couto Borges vem preencher um vazio, um silêncio em torno dos acontecimentos relativos à Operação Rio. O emblemático ano de 1994 marcaria o aprofundamento da inserção brasileira no projeto neoliberal e uma guinada à direita do eleitorado fluminense. A 'crise da Segurança Pública' fazia parte do arsenal político construído para a derrota do brizolismo e de tudo o que ele representava como projeto nacional. O Rio de Janeiro constituía-se em território estratégico para essa empreitada conservadora. A intervenção federal vinha de encontro do clima gerado pela imprensa, que atualizava a velha tática de 'hiperbolização das classes perigosas', demonstrada historicamente por Gizlene Neder. O autor elabora os efeitos do processo de fixação de significados para a construção de um 'individualismo fóbico', descrito por Gisélio Cerqueira Filho. O livro ilumina a história, numa perspectiva muito diferente e pouco divulgada, da fina engenharia empreendida por Nilo Batista para reduzir os danos da intervenção de força que o conservadorismo brasileiro realizava no Rio de Janeiro, na conjuntura eleitoral. O clamor orquestrado para dar passagem ao neoliberalismo, com suas metáforas bélicas, produziu uma ocupação militar nas favelas cariocas.

Detalhes do Produto

    • Ano:  2006
    • País de Produção: Brazil
    • Código de Barras:  9788571063303
    • ISBN:  8571063303
    • Encadernação:  BROCHURA
    • Complemento:  NENHUM
    • Nº de Páginas:  238

Avaliação dos Consumidores

ROLAR PARA O TOPO