Aguarde...

ESTETICA DA MULTIDAO


Produto Indisponível

Veja mais títulos de Sociologia

Sinopse

Um lugar-comum equivocado associa comportamentos iconoclastas a movimentos de resistência ao poder. Contudo, a iconoclastia, ou seja, a proibição de imagens sagradas, foi uma tentativa do poder, na figura do imperador bizantino, de encontrar uma legitimidade diretamente divina. Segundo Antonio Negri e Michael Hardt, todos os ícones deviam ser destruídos para que o súdito imperial não fosse capaz de encontrar, nem mesmo nos ícones das igrejas, alguma maneira de participar do sagrado e de imitar o divino. Deus deveria ser completamente separado da multidão, de tal maneira que o imperador fosse o único elo entre a multidão e o céu, o único meio de salvação. Desde aquela época, a 'guerra das imagens' afirmava-se como o terreno privilegiado de uma soberania que afirmava seu poder pela ruptura da relação entre aquele que governa e aquele que obedece - a representação explicitava-se como processo de corrupção da imaginação e da criação. Nesta obra, Barbara Szaniecki retoma e atualiza esse debate para discutir o conflito entre representação iconoclástica e iconofilia.

Detalhes do Produto

    • Ano:  2007
    • País de Produção: Brazil
    • Código de Barras:  9788520007679
    • ISBN:  8520007678
    • Encadernação:  BROCHURA
    • Peso: 0.23 kg
    • Complemento:  NENHUM
    • Nº de Páginas:  128

Avaliação dos Consumidores

ROLAR PARA O TOPO