Aguarde...
 

EXPERIMENTACAO COMO EDUCACAO


    de: R$ 28,44

    por: 

    R$ 25,59preço +cultura


    Produto disponível no mesmo dia no aplicativo Kobo, após a confirmação  do pagamento!

    Sinopse

    Gilbert Daniel da Silva não nos coloca um problema, mas uma série deles, listados quase de forma simultânea, um método de escrita que parece desafiar o leitor, em um processo que parece jorrar como na imagem de uma cachoeira. Exatamente como no transbordamento de sensações que uma cachoeira provoca, as páginas que se seguem se abrem em diversas direções, e sinalizam sobre como pensar-praticar a educação como experimentação. Entrar na cachoeira dessas frases e signos pode dar-nos algumas formas interessantes de abordar o campo educacional e suas possibilidades criativas. Posso dizer que a minha leitura de Experimentação como educação foi uma tentativa de construir alguns sentidos, não exatamente aqueles que um pedagogo ou um artista visual construiriam, mas a leitura de alguém estrangeiro, tentando conhecer uma nova língua e com ela criando novas línguas. Foi algo como um jogo, uma brincadeira, cujos reflexos se multiplicavam como gotas d água jorrando sobre minha cabeça e meus olhos enquanto a respiração quase rompia o meu peito dentro da sensação que a água gelada em mim proporcionava. Primeiro, o que está em jogo seria a definição de uma ação experimental aplicada a educação. Ou melhor: em que medida a experimentação pode funcionar com a educação? O que isso significa? Ora, acredito que existe aqui certo rigor em avançar por um campo de conhecimento (o educacional) entrecruzado com um conceito composto por quatro elementos ou componentes (interpretativo, educacional, antropológico e sensitivo ou ativo). Sobre esses componentes o autor colocou sua máquina para funcionar, máquina experimental capaz de fazer da educação um campo mais arejado para nossos desejos. Entrar em uma cachoeira é, por si só, um jogo, ao mesmo tempo, maravilhoso e arriscado. Saber como entrar e dela sair talvez seja um dos jogos que o livro configura, uma vez que, em vários momentos, o autor nos fala como a experimentação na educação nos leva para fora da educação; isso não quer dizer abandonar a educação, mas a ela retornar com novas sensações e propostas. Aquele movimento de desterritorialização e re-territorialização que nos parece enriquecedor não só para a educação, mas, sobretudo, para nossas vidas. Segundo, quero aqui destacar que, essa abordagem da educação como experimentação ao propor o diálogo com a filosofia de Deleuze e Guattari, pontua certa condição segundo a qual a culpa não mais existe. Educação sem culpa: como isso é possível? Parece-nos tratar-se antes de tudo de certa condição ou perspectiva inclinada a ver nos processos de ensino e aprendizagem algo mais que dados quantitativos homogeneizantes. Ou melhor, uma educação que não produza culpados, que não interprete as vidas das crianças e dos adolescentes segundo noções hegemônicas, mas um processo de ruptura contra concepções viciosas, historicamente consolidadas segundo o que há de pior nas mentalidades. Negar a culpa significa, por fim, negar o processo de interpretação segundo determinados valores de uma classe social, isto é, de uma cultura. Na direção oposta a isso, a experimentação como educação, sem castrações desnecessárias, sem modelos. Uma educação que favoreça a experimentação pelas singularidades em articulações nas coletividades, tal como uma máquina de desejo inventiva, sempre a se ligar a novas forças e mecanismos. Não dá para entrar na cachoeira sem uma entrega, sem estar aberto a novas sensações, arriscando-se entre pedras deslizantes, folhas e insetos, cheiros e texturas. Talvez possamos dizer que nunca se entra em uma cachoeira da mesma forma, porque nenhuma sensação se repete no corpo. Se a culpa não existe o mergulho se torna possível, porque a aventura nos convida ao desnudamento de nossas categorias rígidas, corpo aberto que não recusa o universo mas o acolhe em sua plenitude. Pronto para um mergulho?

    Detalhes do Produto

      • Ano de Edição: 2017
      • Ano:  2017
      • País de Produção: Brazil
      • Código de Barras:  2001115394587
      • ISBN:  6569000001401

    Avaliação dos Consumidores

    ROLAR PARA O TOPO