Aguarde...
 

ESTETICA E SOCIOLOGIA DA ARTE



Produto disponível em até 15min no aplicativo Kobo, após a confirmação  do pagamento!

Sinopse

"Com a fotografia, a mão liberta-se pela primeira vez, no processo de reprodução de imagens, de importantes tarefas artísticas que a partir de então passaram a caber exclusivamente aos olhos que veem através da objetiva." Walter Benjamin se aplica ao significado desse advento e destaca a ironia dialética, pondo em questão os fundamentos da obra de arte ao possibilitar sua reprodução em massa – que reforça-lhe o caráter mercadológico. O processo fotográfico extrapola o âmbito comercial e ganha teor artístico. O vício da ocularidade herdado dos gregos passa a ter condição técnica. Benjamin ilumina o ponto de inflexão, o início da nova curva crescente. Hoje se vislumbra no que resulta. Em casa, no trabalho, na escola, na rua, por toda parte, olhos fixos em telas, telinhas, telões. A preponderância da visão sobre os outros sentidos, exponenciada pelo avanço da informática, atinge o paroxismo, preocupa pais e educadores. A sutilização substitui a materialidade; a experiência é preterida por registros e simulações. A atualidade do pensamento benjaminiano evidencia-se; o rastro supera a aura; prefere-se a reprodução ao real, como uma avó que responde a elogios feitos ao bebê que leva no carrinho: "Você não viu nada, olhe aqui!" e exibe no celular a foto da mesma criança. Beatriz Magalhães

Detalhes do Produto

    • Ano de Edição: 2017
    • Ano:  2017
    • País de Produção: Brazil
    • Código de Barras:  2001104226578
    • ISBN:  9788582178614

Avaliação dos Consumidores

ROLAR PARA O TOPO