Aguarde...
 

ESTAMOS PERDIDOS. O AUTISMO VISTO ATRAVES DOS

OLHOS DE UM AUTISTA.



Produto disponível no mesmo dia no aplicativo Kobo, após a confirmação  do pagamento!

Sinopse

Os pais de uma criança descobrem que o filho é autista. Começa, a partir daquele momento, uma descida no inferno da reabilitação, de médicos despreparados, de psicólogas catastróficas, de pessoas normais horripilantes e pessoas competentes. “Estamos Perdidos” é um livro verdade, que nos narra a estória de uma criança autista, a partir do seu próprio ponto de vista. Gianni Papa amplifica, como uma caixa de som, a voz interior do interprete principal: uma criança autista que descreve a estrada percorrida pela sua família através da experiência do seu complicado desenvolvimento. Os personagens principais não têm um nome, a família é como muitas na Itália, abandonadas no vazio normativo e assistencial, obrigadas a aprender experimentando e às vezes errando, como curar e resolver as dificuldades que derivam de uma situação que lhes coloca fora daquilo que se pode definir “normalidade”. O interprete é Eu: uma criança autista, o pai é papai, a mãe é mamãe, e o irmão é o menino pequeno com os cabelos vermelhos. Somente os personagens que cercam a família têm nome e, às vezes, sobrenome. E assim conhecemos a vovó Cinzia, vovó Katya, vovô Francesco, zio Fabio e etc... Nesse livro, Gianni Papa soube interpretar em modo legítimo o pensamento da criança, dando voz à “criança que não sabe falar (mesmo sabendo falar)”. Uma criança que observa o mundo ao seu redor e que, como todas as crianças, não pode entender em profundidade o significado de certos comportamentos dos adultos. Uma criança que na dramatização do seu ser, narra com leveza e extrema simplicidade, como só as crianças sabem fazer. Uma criança que vê os adultos complicarem os percursos óbvios e transformar em difíceis os relacionamentos simples. Uma criança que acata as decisões dos grandes com a naturalidade de quem sabe aceitar como sendo justo até aquilo que poderia estar errado e não sabe se perguntar porque o amor acaba. O autor demonstrou uma grande habilidade revirando de cabeça para baixo as prospectivas muitas vezes condicionadas pela maturidade de mentes que, crescendo se tornam “grandes” e, exatamente como fariam as crianças, conseguiu não escorregar na dramatização estereotipada conseguindo, assim, respeitar o ponto de vista do autista.

Detalhes do Produto

    • Ano de Edição: 2016
    • Ano:  2016
    • País de Produção: Canada
    • Código de Barras:  2001009313274
    • ISBN:  9781507137802

Avaliação dos Consumidores

ROLAR PARA O TOPO