Aguarde...
 

CAIO FERNANDO ABREU



Produto disponível em até 15min no aplicativo Kobo, após a confirmação  do pagamento!

Sinopse

"Arfam levemente os dois. Ela dorme segura protegida no ombro dele que a protege seguro. Mesmo dormindo, mesmo do lado de cá. E isso é para sempre, por mais que o tempo passe e a afaste cada vez mais dele, que continua eterno naquele segundo em que o viu. E isso ninguém roubará, repete-se, mesmo levando em conta todos aqueles meses de enganos vis que continuam e continuarão a vir depois daquele sonho.""Caio era aluno e professor, sujeito e objeto, consciente e intuitivo, sofisticado e popular, engraçado e depressivo. Em seus inúmeros livros publicados, desde o início, acreditou na comunicação direta e imediata com o leitor. Não por acaso, tantos anos depois de sua morte, sua obra tem sido ainda mais valorizada do que antes. É impressionante a identificação das gerações posteriores a ele, e que, sem o conhecer vivo, tratam de manter viva sua obra." — LUCIANO ALABARSEEste volume da série Caio Fernando Abreu: o essencial reúne os principais momentos da obra do escritor entre 1990-1996. É nessa fase que ele atinge a maturidade plena e o domínio dos meios de expressão, enquanto enfrenta o declínio físico progressivo, consequência da aids, doença de que viria a falecer.Estranhos estrangeiros, que abre o volume, foi publicado originalmente em 1996 e materializa de forma contundente a proposta estético-literária de Caio. Sua força expressiva sublinha as possibilidades de encontros em um mundo que parece desmoronar.Crônicas e poemas que o escritor não chegou a organizar em livro são apresentados em seguida. Eles revelam angústias, esperanças, ansiedades de Caio durante esse período.Destaca-se também a seleção das cartas de Caio aos amigos, aos colegas escritores e à família, apresentadas em ordem cronológica. Nelas, conhecemos um pouco de suas viagens, das primeiras suspeitas sobre seu estado de saúde, além do histórico de seus últimos momentos.

Detalhes do Produto

Avaliação dos Consumidores

ROLAR PARA O TOPO