Aguarde...
 

POEMAS DE ALBERTO CAEIRO

FERNANDO PESSOA



Produto disponível no mesmo dia no aplicativo Kobo, após a confirmação  do pagamento!

Sinopse

Esta obra reúne o conjunto de poemas dos livros “O Guardador de Rebanhos”, “O Pastor Amoroso” e “Poemas inconjuntos” assinados pelo heterónimo de Fernando Pessoa, Alberto Caeiro.  Alberto Caeiro foi, como admitiu muitas vezes Fernando Pessoa, um dos seus heterónimos que mais gostava e admirava. Foi criado quando um dia Fernando Pessoa se lembrou de fazer uma partida ao seu confidente, o escritor Mário de Sá-Carneiro, mandando-lhe um poema e dizendo que era de um suposto amigo seu. Quando finalmente pôs a descoberto a mentira disse-lhe por carta: “Quis inventar um poeta bucólico, de espécie complicada, e apresentar-lho, já me não lembro como, em qualquer espécie de realidade. Levei uns dias a elaborar o poeta mas nada consegui. Num dia em que finalmente desistira — foi em 8 de Março de 1914 — aproximei-me de uma cómoda alta, e, tomando um papel, comecei a escrever, de pé, como escrevo sempre que posso. E escrevi trinta e tantos poemas a fio, numa espécie de êxtase cuja natureza não conseguirei definir. Foi o dia mais triunfal da minha vida, e nunca poderei ter outro assim. Abri com um título, “O Guardador de Rebanhos”. E o que se seguiu foi o aparecimento de alguém em mim, a quem dei desde logo o nome de Alberto Caeiro. Desculpa-me o absurdo da frase: “aparecera em mim o meu mestre” mas foi essa a sensação imediata que tive.” Em mais detalhes, Fernando Pessoa escreveu que o imaginou como tendo nascido em Lisboa, em 1889 e morrido em 1915, mas que viveu quase toda a sua vida no campo, com uma tia-avó idosa, porque tinha ficado órfão de pais cedo. Era louro, de olhos azuis. Como educação, apenas tinha tirado a instrução primária e não tinha profissão. Fernando Pessoa diria ainda que, quando escrevia em nome de Caeiro, fazia-o “por pura e inesperada inspiração, sem saber ou sequer calcular que iria escrever.” Como poeta, Alberto Caeiro apresenta-se como um simples "guardador de rebanhos" que escreve sobre a natureza e só se importa em ver de forma objetiva e natural a realidade. Ao mesmo tempo despreza e repreende qualquer tipo de pensamento filosófico, afirmando que pensar obstrui a visão ("pensar é estar doente dos olhos"). É pois um poeta de extrema simplicidade que considera que a sensação é a única realidade e que refletir sobre como as coisas são é entrar num mundo complexo, desnecessário e problemático onde tudo é incerto e obscuro. Fernando Pessoa chamava-o de o “Mestre Ingénuo” e considerava-o como sendo o melhor dos seus heterónimos.

Sobre o Autor

Fernando Pessoa foi filósofo, escritor e poeta português. Nasceu em Lisboa, em 1888, e estudou na África do Sul em uma escola católica irlandesa. O poeta teve uma vida discreta e solitária; morreu em 1935, vítima de uma cirrose hepática. Fernando Pessoa publicou apenas quatro obras, três delas em inglês. O escritor traduziu do inglês para o português vários outros livros, como obras de Shakespeare e Edgar Allan Poe. Pessoa também criava e...
Veja todas as obras deste Autor.

Detalhes do Produto

    • Ano de Edição: 2015
    • Ano:  2015
    • País de Produção: Brazil
    • Código de Barras:  2000968746031
    • ISBN:  1230000660525

Avaliação dos Consumidores

ROLAR PARA O TOPO