Aguarde...
 

SERA QUE A CIENCIA NOS ENGANA?



Produto disponível no mesmo dia no aplicativo Kobo, após a confirmação  do pagamento!

Sinopse

Numa profunda revisão que efetuei em busca da verdade científica, deparei-me com a mentira oficial e oficializada. Tal mentira é decorrente ao fato de que ninguém sabe o que vem a ser “pensar e conhecer”. Ninguém foi capaz de surpreender em si mesmo as origens do pensamento, sem a intromissão do raciocínio estúpido e enganador. Pouca gente faz uso do autoconhecimento e da intuição profunda. Se as duas atitudes mentais fossem postas em práticas, facilmente se descobriria que em todos nós existem faculdades psíquicas válidas (normalmente intemporais) e faculdades psíquicas não-válidas (ou temporais). Meramente usar o pensamento é igual a forjar o tempo físico e psíquico. Bom mesmo é Saber-Sentir, Entender, Intuir, Dar-se Conta, e nada disso se iguala ao pensar – Tempo é pensar, mal pensar é tempo. A dor, o medo, a impressão-convicção de pessoa separada do resto, a tirania da morte acrescentada, essas são molas mestras da agonia e da especulação humana ou raciocínio. Ou se Sente e se Sabe a Verdade mais pura, ou senão se a pensa e se acredita poder conhecê-la feito um objeto, feito um pretenso ele à parte, feita um falso deus-personificado. Mal pensar ou mal conhecer é igual a bifurcar a Verdade em duas ou mais mentiras que se superpõem aos fatos reais. E mais ainda, a Vida Real nunca começou nem terminará; simplesmente fulgura Aqui e Agora. Nosso viver cotidiano é vida reconstruída ou temporal, é só memória-raciocínio-imaginação, No homem de antigamente prevalecia um Monismo natural (não pluralidade) não afetado. Ficar cônscio ou consciente de alguém ou de alguma coisa é igual a recriar descuidadamente a pessoa pensante e a coisa pensada, ou a pluralidade. Sim, porque a imposição e a supremacia do dualismo perceptual e cultural se devem aos maus sacerdotes e às religiões organizadas de todos os tempos. Nem todos vêem a Realidade (mundo, vida etc.) da mesma maneira, porque o senso comum é uma imposição ladina que começa na infância. A lógica vulgar cria a ciências, mas a lógica extremada e autofágica exclue o falso e burila o que há de verdadeiro na ciência. O ego pretensamente observador, especulador e experimentador do cientista se diminui ou se anula diante dos pretensos fenômenos externos. Certos homens antigos Sabiam bastante a respeito de Deus e da Alma; outros, porém, já exacerbando o seu pensar, inventaram bonecos de adoração e fantasmagorias anímicas, boas para impressionar e escravizar. A visão pluralista do Ocidente e a visão não-dualista do Oriente. A Grande Alma (ou Consciência) é “EU SOU O QUE SOU” e a base de tudo. A supremacia das religiões foi devida às ambições do ego. No mundo organizado abundam os adulteradores da Mensagem Eterna. As antigas escolas esotéricas de conhecimento eram totalmente diferentes da lógica-razão científica. A magia e a ciência dos antigos, construtoras de portentos inexplicáveis simplesmente deixou obras mas não explicações. E isso porque sempre houve diferenças entre especulação filosófico-científica e técnica antiga ou o artesanato.

Detalhes do Produto

    • Ano de Edição: 2018
    • Ano:  2016
    • País de Produção: Brazil
    • Código de Barras:  2001015272145
    • ISBN:  6569000000063

Avaliação dos Consumidores

ROLAR PARA O TOPO