Aguarde...
 

A PRINCESA DE CLÈVES


Produto Indisponível

Veja mais títulos de Romances

Sinopse

Desde que foi publicado, em 1687, A princesa de Clèves jamais deixou o foco da polêmica. A intriga central era comum nos romances franceses - uma mulher que se casa por conveniência sem amar o marido (a quem, no entanto, respeita e é fiel) apaixona-se por um jovem fidalgo sedutor. Mas Madame de Lafayette acrescentou o tempero que provocou discussão. Tendo perdido a mãe, a princesa de Clèves, num momento de tensão existencial, coloca-se sob a proteção do marido, e confessa-lhe o amor nascente. Ela não tarda a lamentar a confissão. E a sinceridade da princesa se volta contra ela. Todas as heroínas de Madame de Lafayette amam fora do casamento. Mas a confissão da princesa, cena culminante do romance, é tão surpreendente que o Mercure Galant fez uma enquete na época entre os leitores que a consideraram inconveniente. Escrito no século XVII, mas com a ação recuada em um século, A princesa de Clèves tem como pano de fundo os últimos anos do reinado de Henrique II. A moldura histórica é verdadeira, mas os personagens principais da trama são fictícios.Primeiro romance moderno da literatura francesa, e é caracteristicamente um romance psicológico. Antes de Madame de Lafayette, os personagens cessavam de agir para se analisar. Com A princesa de Clèves a análise se torna meio de progressão e substância mesma da narrativa. Antes dela, os romancistas esbarravam no problema fundamental do "tempo romanesco". Ela trouxe ao problema do tempo sua primeira solução, tão engenhosa e forte que foi usada ainda muitos séculos depois. Sua análise anuncia a de Proust pelo lugar considerável atribuído ao ciúme, que não é um acidente do amor, mas surge com ele. Cada um de seus romances, dos quais A princesa de Clèves é a obra-prima e um dos grandes clássicos da literatura universal, começa por um quadro de intrigas da corte, onde havia tantos interesses e tantas cabalas diferentes, e as mulheres tinham uma participação tão grande nela que "o amor sempre estava misturado aos negócios e os negócios ao amor". A princesa de Clèves tem ritmo de folhetim e sua moral, contrária aos folhetins que fizeram mais tarde as delícias dos leitores no século XIX, ensina que a mão que inflige o ferimento é também aquela que o cura.

Detalhes do Produto

    • Origem:  NACIONAL
    • Editora: RECORD
    • Coleção:  GRANDES TRADUÇÕES
    • Edição:  1
    • Ano:  2004
    • Assunto: Romances
    • Idioma: PORTUGUÊS
    • País de Produção: Brazil
    • Código de Barras:  9788501068965
    • ISBN:  8501068969
    • Encadernação:  BROCHURA
    • Altura: 21.00 cm
    • Largura: 14.00 cm
    • Comprimento: 1.10 cm
    • Peso: 0.28 kg
    • Quantidade de Itens do Complemento:  0
    • Nº de Páginas:  192

Avaliação dos Consumidores

ROLAR PARA O TOPO