Aguarde...

UMIDADE


de: R$ 49,90

por: 

R$ 35,60preço +cultura

Produto disponível
Entrega Foguete disponível.  
Apenas 2 em estoque

 
Frete grátis para compras acima de:
Sul e Sudeste: R$ 99,00
Centro-Oeste e Nordeste: R$ 109,00
Norte: R$ 139,00
Confira o regulamento

Calcule prazo de entrega e frete:

 - 
Este produto pode ser retirado em loja

Sinopse

O Liminha está se dando bem: já tem um Audi A4 e lábia suficiente para seduzir os clientes mais endinheirados. QUem ele não consegue seduzir é a Mariana, sucessivamente sua paquera, namorada, noiva e legítima esposa. UM mulherão, protegida com galhardia pela mãe, uma matrona portuguesa viúva do Homem de Vendas 1975 da Associação dos Revendedores Volkswagen. LIminha, o herói de "Umidade", conto que dá título ao primeiro livro de contos de Reinaldo Moraes, é um dos representantes mais precisos desta imensa colônia de bactérias que se reproduz sem cessar em meio úmido: a classe média. "O desejo cansa", pontifica Marcelo Mirisola na epígrafe do livro. SE é assim, os personagens desses contos - e, por tabela, todos nós - vivem exaustos, escravizados por um desejo insaciável e muitas vezes risível: o casal que lê na cama a bula do Viagra, tentando fazer um casamento de mais de vinte anos pegar no tranco; a esposa frustrada que deixa o marido em casa e se deslumbra num festim da alta burguesia; o cara que perde a namorada e acha uma carteira recheada de dinheiro no aeroporto de Paris; o mauricinho que tenta seduzir uma gata da Zona Norte de São Paulo; a instrumentadora cirúrgica que vê o fim de semana na praia ser destruído pelos caprichos do filho e a falta de imaginação do namorado. DE um realismo escrachado ou abertamente paródicos, os personagens e situações de Umidade são o melhor exemplo do casamento entre humor e boa literatura. Não é todo dia que encontramos um autor refinado e galhofeiro como Reinaldo Moraes, capaz de encaixar os maiores desatinos na sintaxe dos grandes clássicos. SEu romance Tanto faz, cult nos anos 80, que conta a história do bolsista beatnik que vai para Paris fazer uma espécie de doutorado em hedonismo, é o grande retrato literário da abertura cultural que ocorreu no Brasil a partir de 79. Nos contos de Umidade é como se o bolsista tivesse envelhecido vinte anos e, em vez de sugar a vida nas veias de Paris, flagrasse-a pateticamente no apartamento do vizinho.

Detalhes do Produto

    • País de Produção: Brazil
    • Código de Barras:  9788535906936
    • ISBN:  8535906932
    • Encadernação:  BROCHURA
    • Altura: 21.00 cm
    • Largura: 14.00 cm
    • Comprimento: 1.40 cm
    • Peso: 0.31 kg
    • Quantidade de Itens do Complemento:  0
    • Nº de Páginas:  256

Avaliação dos Consumidores

ROLAR PARA O TOPO